Icterícia é uma síndrome que se carateriza pelo aparecimento de uma coloração amarelada das mucosas e da pele, consequência da acumulação de bilirrubina no organismo. O recém-nascido, normalmente apresenta icterícia 1 a 2 dias após o nascimento e vai desaparecendo, aos poucos de forma natural. Em alguns casos é necessária a sua continuação na maternidade, para a fototerapia, de forma que ajude a deteriorar a bilirrubina e desta forma reduza os níveis de concentração, no sangue.

Incidência da doença

A icterícia do recém-nascido é muito comum, ocorre em 50% dos bebés nascidos a termo e em 70% dos recém-nascidos pré-termo. É uma síndrome que se apresenta de forma pouco intensa, na maioria dos casos, e depois vai regredindo, até aos valores normais. A percentagem de bilirrubina sanguínea aumenta porque o fígado tem dificuldades em captar e há uma elevação da sua reabsorção intestinal, entre outros. Quando este acumular não se consegue degradar de forma natural, há necessidade de se proceder ao tratamento, de forma a evitar que este pigmento se impregne no cérebro e cause danos graves à criança.

Sinais e sintomas da icterícia do recém nascido

A presença da coloração amarela na pele e nas mucosas, normalmente é o único sinal clínico da icterícia. Esta começa por aparecer primeiro na cabeça e depois vai progredindo para baixo, ou seja a pele de um bebé que tenha icterícia fica amarela na face, depois no tórax, depois no abdómen e nas pernas. Em alguns casos o branco dos olhos também fica com o mesmo tom amarelado.

Formas de diagnóstico

É extremamente importante que se faça o diagnóstico da icterícia atempadamente, sob pena de causar danos irreversíveis na saúde do recém-nascido. É importante fazer um diagnóstico diferencial para distinguir, não só o tipo de icterícia como a sua falsidade. Após uma análise clínica dos sintomas, deve-se confirmar a icterícia e os seus valores com análises sanguíneas.

Evolução, complicações e prognóstico da doença

A icterícia, se for tratada atempadamente, evolui de forma favorável e não deixa sequelas para o futuro da criança, caso contrário, se esta evoluir de forma desfavorável, nomeadamente se alcançar os braços e as pernas, se o bebé apresentar febre ou se começar a parecer mole e doente, deve procurar o médico, imediatamente.

Tratamento

O tratamento da icterícia muda de acordo com as causas e os graus de intensidade, entre leves, moderados, e graves.

Nos casos leves, não requerem tratamento específico e os sintomas desaparecem de forma natural. Nos casos moderados, poderá ser necessário o tratamento com fototerapia, de forma que se consiga eliminar ou transformar numa percentagem residual. E nos casos mais graves, é necessário fazer transfusões de sangue, para remover a bilirrubina do corpo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *