A enxaqueca é um estado clínico causado por dores de cabeça internas, classificadas em diferentes graus, consoante a sua intensidade. As enxaquecas são o resultado da pressão exercida pelos vasos sanguíneos dilatados, no tecido nervoso cerebral subjacente. Estas, podem ser provocadas pelos mais variados motivos, desde situações de stress, mudanças bruscas de temperatura, alterações hormonais ou alimentos quando ingeridos em quantidades exageradas. Por vezes, as enxaquecas podem surgir, como sintoma, associadas a outras patologias como rinite, amigdalite, sinusite, etc.

Se você sofre de enxaquecas, consulte estas Dicas e Conselhos para um tratamento natural!

Epidemiologia da Enxaqueca

A enxaqueca é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), uma das vinte doenças causadoras de maior índice de incapacidade, uma vez que afeta 10 a 15% da população adulta e traz graves problemas com consequências socioeconómicas, devido ao seu caráter incapacitante.

Faz parte das doenças neurológicas, cujo grupo de risco incide sobre as mulheres, entre os 20 e os 30 anos de idade, no entanto tem tendência a desaparecer ou atenuar a sua intensidade e a sua duração, por volta dos 50 anos. Pode, por vezes aparecer na infância, ainda que em situações mais raras.

Sintomas da Enxaqueca

A enxaqueca é uma dor de cabeça comum, que afeta normalmente um dos lados da cabeça. Por vezes, no acompanhamento destas dores de cabeça, surgem alguns sintomas como vómitos, náuseas e intolerância ao som e à luz.

Estes sinais podem durar mais ou menos tempo, entre algumas horas até alguns dias, em casos mais excecionais.

Formas de diagnóstico

O diagnóstico desta patologia é fundamentalmente uma análise clínica de todo o historial de enxaquecas do doente. É pois, de extrema importância quando começam as crises, que o doente faça um registo de algumas das caraterísticas fundamentais à avaliação diagnóstica, nomeadamente, qual a sua localização, a sua duração, a sua frequência, o seu horário, qual a intensidade da dor e quais os sintomas associados a cada crise. Uma vez que não há testes laboratoriais para o efeito, é necessário um estudo de todos estes fatores, para que desta forma, o médico possa fazer uma avaliação cuidada e diagnosticar o doente com o tratamento mais adequado, à sua situação.

Evolução, complicações e prognóstico da doença

As enxaquecas condicionam a vida do doente, no entanto se for feita uma avaliação cuidada e o tratamento for seguido com cuidado, é uma patologia que se pode resolver, ou pelo menos atenuar os sintomas, com a medicação preventiva diária. É uma patologia que pode trazer complicações, se não for cuidada atempadamente, nomeadamente na qualidade de vida do doente, no entanto, quando tratada o prognóstico evolui de forma favorável.

Tratamento da Enxaqueca

O tratamento das enxaquecas, normalmente envolve substâncias vasoconstritoras, para aliviar a pressão criada. Como tal, como medida preventiva podem ser usados medicamentos como betabloqueadores, anti-histamínicos, anti convulsivantes, bloqueadores de canais de cálcio ou simples analgésicos.

É de salientar que todos estes medicamentos podem causar efeitos secundários no sistema circulatório, dado que é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.

Se prefere optar por métodos naturais, aconselhamos uma leitura atenta de um dos melhores ebooks existentes no mercado sobre a temática Enxaqueca: Cefaleia e Enxaqueca – Dicas e conselhos para um tratamento natural

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *