Apendicite é uma inflamação do apêndice, uma pequena bolsa que está ligada ao início do intestino grosso. Normalmente ocorre quando o apêndice fica bloqueado por fezes ou por outro corpo estranho, e faz com que as suas paredes inflamem.

A apendicite pode ser aguda ou crónica. A apendicite aguda é muito comum e de resolução, relativamente fácil. A apendicite crónica é o resultado de várias apendicites agudas repetidas, que levam à inflamação contínua do apêndice.

A apendicite tem um pico de incidência em pessoas entre os 15 e os 30 anos de idade, ou seja é uma doença típica dos adolescentes e dos adultos jovens, no entanto afeta igualmente homens e mulheres. É mais frequente nos países industrializados com poucos hábitos alimentares de fibras.

Sinais e Sintomas da Apendicite

Em termos gerais, o primeiro sintoma é uma dor súbita em volta do umbigo, ou seja na zona abdominal. Esta dor inicial, por vezes, é de pouca intensidade, normalmente é acompanhada de náuseas, vómitos e febre baixa. Se o quadro evoluir de forma negativa, e o apêndice se perfurar, tanto a dor como a febre aumentam de intensidade e é necessária a intervenção médica, o mais rápido possível, caso não seja retirado pode provocar a morte.

Formas de diagnóstico da Apendicite

O diagnóstico desta doença é muito difícil, devido à escassez dos sintomas e ao seu aparecimento, por vezes tardio, aquando da progressão da doença.

As apendicites que carecem de sintomas específicos, são mais frequentes em idosos e crianças pequenas, no entanto são diagnosticadas bastantes falsas apendicites, uma vez que a apendicite, se não for tratada, é na maioria das vezes, mortal.

Além da realização de um diagnóstico à base da observação dos sintomas do paciente, também se podem realizar outros exames complementares, tais como: análise ao sangue (alteração do número de glóbulos brancos), análise à urina e através de vários exames de imagem, uma vez que este tipo de exames mostra o espessamento do apêndice e a quantidade de pus que está presente à sua volta.

Evolução, complicações e prognóstico da Apendicite


Cada caso é um caso, no entanto se o apêndice não se romper, antes de ser removido, não há grandes complicações e a recuperação é relativamente fácil e rápida. Se pelo contrário, ele se romper, antes de ser removido então pode trazer mais complicações e a recuperação é realizada de forma muito mais lenta.

Algumas das complicações que podem surgir são: fístulas, abcessos, infeção da incisão cirúrgica, ou peritonite.

O tempo de recuperação é variável, tendo em conta a idade, as condições do doente, as complicações que surgiram, mas de um modo geral varia entre 10 e 28 dias, no caso de crianças mais pequenas, até aos 10 anos, a recuperação é mais rápida, cerca de 3 semanas.

A apendicite aguda requer uma avaliação e um tratamento rápidos de forma que não traga mais complicações, uma vez que pode evoluir de forma mortal, ou ter de se atuar de emergência, sem condições, uma vez que esta não é uma questão que se resolva espontaneamente.

Tratamento da Apendicite

O tratamento da apendicite é a cirurgia de remoção do apêndice, uma vez que desta forma se evita o agravamento da situação. Hoje em dia, e com o avanço das novas tecnologias, a cirurgia é de recuperação rápida, devido ao tamanho reduzido das incisões. O tempo de internamento pode variar entre 24 e 72 horas, dependendo do poder de recuperação do paciente e do grau de contaminação da cavidade abdominal.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *